sexta-feira, 19 de junho de 2009

Qual o seu orgulho?


Antes de tudo eu gostaria de agradecer de coração aos amigos Cain Sodom do http://caiunopoco.blogspot.com/ e ao Lennin Fox do http://soumundano.blogspot.com/ pela discussão séria e comprometida com a verdade e acima de tudo, no interesse de fazer a verdade ser verdade e tratada como tal. É triste e desanimador perceber que a mída brasileira ainda seja assim tão parcial e demagógica. E eu ainda queria dizer que quando a gente passivamente aceita a minimisação da verdade, mostramos de fato quão pequenos nós somos, independente de nossa orientação sexual. E nessa hora tanto faz se uma manifestação reune 3 ou mais milhões de pessoas se a consiciência na busca da verdade não acompanha os números. Bjus pra vocês dois.

Qual o seu orgulho?

Na segunda feira passada estive lendo o post do Foxx, citado acima. Quando o Cain, me convidou a dar uma lida no tal post. Na verdade ao ler o post eu fui tomado por um sentimento de angustia. Depois fiquei pensando: o que de fato poderíamos esperar da mídia brasileira? A qual representa uma sociedade patriarcal e absolutamente machista? Desviar o foco de qualquer assunto relevante em favor das minorias é uma arte muito bem executada pelos profissionais que representam essa mesma mídia colonialista e manipuladora. Mas até aí tudo bem. Estamos mesmo acostumados com isso. Mas tudo bem? Como assim tudo bem? Ok. Vamos a alguns fatos ideologicamente veiculados para minimisar a verdade. Como isso funciona? Chama-se a atenção para um foco, desfocado por assim dizer. Ou aumenta a dimensão do todo para diminuir nas partes. Assim, o “acidente” ou “incidente” ou “atentado” torna-se mesmo insignificante. Dessa forma é mais fácil considerar o todo como relevante e considerar as partes apenas como fatos lamentáveis.
Então eu te pergunto: se você se deu conta disso, qual o seu orgulho?
Vamos a outros pontos igualmente interessantes de se pensar sobre.
Na semana da parada gay, o dia dos namordos, antes, durante e depois, em nossos blogs teve muito mais ênfase do que notícias e comentários sobre a parada gay. Nem mesmo o “atentado” homofóbico e covarde mereceu a atenção de grande parte de nós. E alguns dos que se manifestaram sobre a parada gay, ressaltaram o glamour e o número. E nada mais. Nosso orgulho, se é que posso dizer assim é muito pequeno. E pra dizer a verdade, eu pessoalmente odeio essa palavra no contexto de orgulho gay. Estou mesmo querendo dizer é que nosso comprometimento com nosso direito de ser pessoa no mundo e ser respeitado é de fato muito pequeno. Nós temos nas mãos um meio interessante e porque não dizer, poderoso de comunicar. E fazemos mal uso desse meio. Nós podemos disseminar a cultura da informação, mostrar o outro lado notícia e assim criar uma rede de pessoas mais conscientes e quem sabe um dia isso não se torna mesmo uma “cultura da verdade.” E se a gente não pensar seriamente nisso, um dia o tão proclamado orgulho, vai virar vergonha. E não estou falando da manifestação, estou falando de como olhamos pra nós mesmos. E se nossa indignação diante do mascaramento da verdade, não se converter em atitude, mesmo que pequena, essa mesma indignação vai acabar se tornando resignação, concordância passiva diante da mediocridade midiática.
E por fim, eu ainda ouvi de muitos amigos no dia da parada o seguinte: esse é o único dia em que não sinto orgulho de ser gay. E eu fiquei pensando: e eu no meu mundinho. Será que algum dia eu sinto orgulho? Ou prefiro ficar no meu canto, na minha toca? Você tem?
Acho que na verdade, a gente nem sabe mesmo o que seja ter orgulho de ser aquilo que se é. Se você tivesse que me falar de sua indignação diante do ocorrido, o que você me diaria? E Se você tivesse que me falar do seu orgulho de ser quem você é, o que você me diria? Cuidado...
By Jason e Alê.
Abraços pra quem gosta e bjus pra quem tem bom gosto.

17 comentários:

:: Fatima :: disse...

Caros amigos!
Parabens pelo post!MARAVILHOSO!
Voces disseram o que muitos gostariam de dizer nesse momento tao lamentavel,diante desse episodio mais lamentavel ainda!


Eu sinceramente tenho muito orgulho de ser quem eu sou!Livre de certos preconceitos que em pleno sec XXI nao fazem muito sentido!
E quero dizer que estou muito triste com o episodio,tenho amigos gays e me coloco no lugar de cada um deles e da familia,caso algum deles tivesse passado por uma situacao dessas!

Bom fds pra vcs;*

BjOos!

Ryan disse...

Sou bem crítico quando trato sobre esse assunto. Na verdade a instituição da parada Gay foi com o intuito de defender os direitos e as garantias constitucionais previstas no caput do art.5° e todos os seus incisos e alíneas da constituição federal de 1988. Entretanto, esse foco mudou. Hoje a parada Gay não passa de uma grande festa onde todos os gays do Brasil se reunem para assistir show's e fazer parte da estatística. A idéia era lutar por direitos, lutar por igualdade, lutar pela nossa dignidade. Não vejo luta alguma nas paradas Gays de São Paulo. Vejo uma grande festa que aumenta em mais de 25% o comércio local e um aumento considerável do movimento nas agências de turismo (assim como aquece a rede hoteleira local). Eu não tenho se quer orgulho dos 3,1 Milhões de pessoas que sairam as ruas para festejar "não sei o que". Pode até ser a maior parada Gay do mundo, mas ainda assim não temos direito algum. Aliás, temos, mas não são suficientes! E olha que o Brasil é um país Laico. Acredito ser inaceitável casais homosexuais possuirem 17 direitos a menos que casais heterosexuais! Somos todos iguais perante a lei, deveriamos ser tratados de igual maneira. Quem sabe um dia a parada resgate a idealização de luta, manifestação, indignação... Talvez assim eu sentiria orgulho, talves assim eu me importe! Enquanto isso, prefiro ter orgulho de mim mesmo, orgulho de vocês dois, orgulho de mais uma meia duzia de pessoas!


Beijo para os dois.

Paulo Braccini disse...

parabéns ... perfeito e contundente ... é lamentável tudo isto q ocorre neste país ... mas ainda existe esperança enquanto houver manifestações e posicionamentos assim.

abração

;-)

Ausência Instável disse...

Um dia haverá de ouvir que existirá a cultura de quem somos, é a grande nação de sabedoria que alguns como nós temos o orgulho de sermos quem somos.

"você me diria? E Se você tivesse que me falar do seu orgulho de ser quem você é, o que você me diria? Cuidado..."

De mim, como um grande reflexo de que diante dessa festancia que acontece na parada gay, não esta sendo nada referente ao direitos. PARA MIM, virou grande putaria, e roubo e etc de podres que sabemos o que acontece.
Tenho orgulho do ser humano que sou, mas não por ser diferente e normal como todos, apenas desejos diferentes ao mundo 'anti-socialista' não me julgo um bicho de duas pernas.

Tenho orgulho de ser humano, e não sair gritando ao mundo que todos devem saber qo que sou, ao invés, saber quem é o Luiz Alberto, e ponto.

Bom, eu não entrei em muito detalhes, porque já me desabafei tanto, mas tanto, que se os erros forem para cometer, deixa eu sentir.
Julga e ser julgado cairá a mim.

Hoje é isso !
Rsrs ...
PS: Desculpa por nao ter falado com vc, nao estava no pc.
Sorry.

Um beijão pro cês.
Ainda espero um post para mim
AHuHAuHAuah ...
Brincadeira!

Gostooooo de vcs demais!

Marina Melow - Papo Contemporâneo disse...

Eu tenho orgulho de mim!
É, posso dizer que sou uma ótima pessoa, parece meio egocêntrico isso.
Mas eu tenho que me valorizar, se não ninguém fará isso por mim.

É uma pena que ainda tenham pessoas com mente pequena nesse país né?
Admiro a coragem dos que assumem sua escolha e não estão nem aí para o resto da sociedade!


beijos :*

Apenasumhomem disse...

Queridos
Texto brilhante! estava pensando sobre essa tal "orgulho Gay" e não gosto dela... nem todo gay tem bons valores assim como nem todos héteros também não. Muitos não ouso falar de percentual vão a tais paradas pra "pegar", pra exibir corpos e modelitos,batons e perucas.
Não tenho o menor orgulho disso.Gostaria de ver gays,brancos, negros, héteros ou seja lá o que for se esforçando pra que tivessemos orgulho der ser humanos.Já pensou que lindo se todos independente de sexo, cor e condição social lutassemos pra humanizar... dai imagino que show seria essa parada!
bjos

Cαmilα ♥ disse...

Primeiramente, parabéns pelo texto e idéias brilhantemente expostas!

Amados, é sempre uma questão delicada assumirmos quem somos! Independente de opção sexual, digo ser quem somos!
Assumir e ter orgulho.
Há pessoas que não se orgulham de sua posição social, de seu peso, de sua raça, se seu credo, de sua descendencia... enfim... de ser quem é.
Assumir-se é dizer que orgulha-se de quem realmente é.
E pensando assim, o que aconteceu no dia da Parada Gay é de fato inaceitavel, e não entendo porque a mídia agiu dessa forma, desmerecendo o fato que serve de alerta para como há pessoas incrivelmente idiotas e hipocritas no mundo.

Meninos, eu tenho orgulho de ser querida por você e de gostar de vocês!

Um beijO meu

Brasnetto disse...

Eu não sei exatamente do que ter orgulho, sabe... no ano passado fui a minha primeira vez a uma parada Gay aqui em Recife - primeira e última.
Não gostei de muitas coisas que eu vi. Gente quase sem roupa (alguns estavam completamente se roupa na Avenida Boa Viagem), fazendo movimentos e gestos promíscuos. Honestamente, eu não tenho orgulho disso.
Enfim, tem quem goste... mas eu não vou mais. Prefiro fazer o meu orgulho particular sendo um bom profissional na minha área, uma pessoa boa que quer ser feliz acima de tudo!

Abraços procês rapazes!!!

Bom final de semana!

Rodrigo Brower disse...

Complexo falar de verdade, o que é verdade? Algo visto de um certo ângulo, a verdade é tão relativa, como tudo. Sobre a parada não adianta lutar por respeito apenas um dia no ano, e depois voltar pra vida real, fingindo ser o que não é, dizendo ser "discreto", faz muito tempo que deixei de participar da Parada..desde que deixou de ser um movimento político e virou uma micareta..Gostei do blog =D Ótimo fim de semana. Abs

Gusta Fernandes disse...

Não levo em conta de que o assunto não tenha sido abordado ao extremo em relação a ter acontecido na parada gay.
Foi um ato homofobico? Foi! Sem duvidas (pelo menos essa é minha opinião)
Mas, se vocês olharem pelo lado de que qualquer tipo de violencia, seja ela qual for e pra quem for... não está tendo mais aqueles protestos como era antes. Isso é fato!
Parece que as pessoas estão se acostumando com tudo o que é ruim. Eu não me acostumei em ver crianças na Africa passando fome e miseria.
Não me acostumei a ver mulheres apanhando. E muito menos a atos homofobicos, com pessoas que não se diferem nada de heteros.

Uma andorinha só faz verão sim.
Se cada um mudar o seu espaço pra melhor... no final tudo junto vai ser um grande avanço!
As pessoas não fazem suas vozes serem escutadas.

Fico muito triste pelo acontecido...


Ps. Senti falta de vocês também.
Meu Pc está ruim, vou demorar um pouco a voltar
pro msn masss... aqui no blog vou estar sempre okay?!

PADRECOOOO?????NÃÃÃÃÃÃÃO!!! Páááááára!!!!!

haHAhAHAhaHAhaHAhaHAhaHAha

Abraço Jay.
Abraço Alê, a gente se fala depois, HEin Alê?! (kkkkkk - adoro te zuar Jay! kkkkk)

Gato de Cheshire disse...

Bem escrito,audacioso, critico na medida corrosiva exata pra proporção da situação... Q saudade q tava de vc Jason... Fantástico...

Luciano de Sálua disse...

Parabéns pelo post. Mensagem compreendida. Guardei para mim. Beijo e Abraço.

Marcelo Novais disse...

Eu tenho orgulho de ser oq sou e quem eu sou!

Caio Abreu disse...

Parada gay virou micareta gay! Perdeu o foco, ou alguem que foi na parada, por algum momento se lembrou de discutir direitos civis?

Claro que não, estavam mais preocupados em beijar o máximo de bocas possíveis, tomar quantos ecstasy o corpo surportasse e ir a diversas festas pós parada.

Parece que gay só é bem vindo quando proporciona algo de bom pros héteros... a parada gay de SP só perde pra Formula 1 em $$$ arrecadado na cidade, virou algo lucrativo pra SP e um tremendo capital eleitoral. Ótimo lugar pra politicos iludir os gays e dizer que são em favor "da causa"...

Um tal de Diih disse...

Sabe que eu nunca tive duvida do que eu realmente quis e desde dos 15 anos eu começei a contar a todos os meus amigos que eu era gay. E sabe eu pensei que e meus amigos heteros iam acar nojento, todos eles não viram problema nenhum em eu gostar de garotos. e isso me deixou muito feliz, quando eu percebi que eu conquistei de verdade todos aqueles amigos e que não restava duvidas de que todos aqueles amigos nunca me deixariam na mão. Eu sinto orgulho de min mesmo pelas decisões que eu fiz e de fato eu não vejo motivos de sentir orgulho de ser gay, mas todo mundo se orgulha de min ao ver que eu não tive medo do que os outros iriam falar. Eu sempre falei a verdade e isso me fez laços muito fortes com meus amigos. é tenho orgulho da minha coragem de poder dizer que eu sou gay 24 horas por dia para todas as pessoas que eu conheço. :)

Cain Sodom disse...

Hum, francamente já não sei mais o que pensar...

1. "Direitos iguais para todos". Desde que vc trepe com pessoas do sexo diferente. Porém, embora eu concorde que a "parada" também tornou-se uma micareta - não sei se posso decidir mudar uma cultura que se arrasta há anos... A cultura do sexo fácil, do egoísmo, do machismo, da droga rolando solta, da bebedeira até cair na sarjeta, e finalmente da frieza e indifereça somados a cara de pau que a maioria de nós tem... Sei lá, acho complex. Jamais me encaixei em padrão algum, tanto que não tenho amigos gays (mas eu gostaria de ter, mas ainda não achei minha turma). Não sei o que ocorre, não rola a tal amizade. Acho que sou CHATO! CHATO! E bem verdadeiro. Rs, só pode.

2. Não sinto orgulho de ser gay, simplesmente porque gosto de homens. Eu gosto de ser gay porque é o que sou (aprendi a me aceitar assim), e isso me permite ver as coisas de forma diferente. Mas eu gosto de ver as coisas de modo diferente, não quero ser tratado de forma diferente.

3. A cultura do gueto! Hoje e sempre, vivemos em guetos... Ah, mas vc vai dizer que não é bem assim, e blábláblá... Que muita gente mora assim e assado e blábláblá. Mas na hora de sair pra namorar onde é que vc vai? Para uma boate ou bar, que são completamente fechados e cercados por muros altos, como se fosse uma redoma de proteção (não que eu discorde, afinal, não demora e alguém pode passar e... Melhor não dar idéias aos nazi) E isso, de certa forma, não é viver em um gueto? Não pessoa, não to falando que vc vai sair por ai trepando rua afora (embora já tenha visto, eca...), estou falando sobre coisas simples que muita gente torce a cara - como andar de mão dadas ou dar um beijinho carinhoso (nada de beijos de lingua cinematograficos>>>estilo caligula) na rua...

4. Enfim, só quero respeito! Mas como ganhar respeito se tanta bicha por ai não anda se dando o respeito? Sei lá, acho que esse treco de respeito é relativo. Se parar pra pensar vc fica doido. Tem muito mais hetero sem vergonha do que gay, ou to delirado? E vivemos reclamando que não temos direitos iguais, mas o que se viu na parada? Não foi o mesmo que se faz em micarê hetero (ou mix), seção de baixaria gratuitamente pública?

Enfim, socorro... eu to doido!

Cain Sodom disse...

PS>>> quando digo "amigos" gays, não me refiro aos virtuais... Enfim, to tentando, to tentando. rs