terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Falando Sério com Luiz Fabiano

Meus queridos faz dias que estou pra publicar essa entrevista com o Luis Fabiano, que é uma pessoa super especial pra mim e Alê. O blog do Luis, http://luisfabianoteixeira.blogspot.com/, foi um dos primeiros que visitei logo que comecei a blogar e foi afinidade a primeira vista kkkkk. O modo dele escrever, a clareza de idéias, a seriedade de seus posts me chamou a atenção e foi surgindo uma amizade virtual, mas que extrapola esses limites da virtualidade pela cumplicidade e sinceridade em nossos contatos seja no blog ou msn. Então é hora de vocês meus queridos conhecerem um pouco mais desse artista ultra especial que tem um estilo super particular, singular de nos apresentar sua arte. Sua criatividade, eu não chamaria de ousada ou irreverente, eu chamo de audaciosa, no sentido de que ela não se prende a modelos pré-estabelecidos. Mas, muito melhor que eu ficar aqui falando, é melhor a gente compartilhar juntos de sua arte. As imagens na postagem foram cedidas por ele e fizeram parte de sua exposição, no fim do ano passado. E no blog, ele também publicou essas imagens com o nome de "relicário". Nome bastante ousado pra postagem. Então vamos lá.


Qual sua relação com a arte. O que te inspira e quais os seus maiores desafios etc.
Na minha infância, eu já desenhava muito, pintava, fazia bonecos com argila,... Digamos, então, que eu já nasci com um “DNA” artístico. Quando fui morar sozinho, em 2006, fiz um quadro para decorar o meu apartamento e todos que me visitavam curtiam, queriam um igual, era um stencil art da atriz Audrey Hepburn. Depois, tudo aconteceu sem maiores planejamentos. Fui me profissionalizando, fazendo cursos, pesquisando o que me interessava, até que no ano passado, por sugestão de um amigo, fiz a minha primeira exposição, em Santos. Quem trabalha com arte não para nunca, tudo inspira. Uma textura, uma frase, uma estampa, um comportamento, uma viagem, uma época,... Depois é só direcionar o olhar e trabalhar muito. Os maiores desafios são os mesmos de qualquer jovem artista: expor e viver do próprio trabalho. O Brasil é um seleiro imenso de artistas e revelar esse pessoal todo não é nada fácil, então tem que colocar a bunda na janela (descobri essa expressão ontem e adorei), criar as suas próprias oportunidades, se reinventar sempre.


O que gosta de fazer em seu tempo livre?

Passear na praia e sair com os meus amigos pra jogar conversa fora. Fora isso, tudo me conecta de alguma forma com trabalho, então nem conta.

Musica preferida?

A música boa, seja brasileira ou internacional. Sou bem eclético e não vivo sem música, mas seria difícil me decidir por um único gênero ou uma única canção.
Maior sonho?

Expor o meu trabalho num museu bacana como o MAM ou a Pinacoteca, por exemplo.
Maior medo?
Ter que abrir mão dos meus sonhos, das coisas em que acredito, por alguma uma fatalidade, algum motivo inesperado.

O que mais detesta?

Falta de educação.
O que mais te atrai numa pessoa?
Não é nada muito específico, pode ser um olhar, um gesto, um jeito de falar. Sou até bastante visual, mas, quase sempre, o que me atrai numa pessoa não está ligado à imagem.


Quem seria a pessoa ideal pra você? Homem, mulher, tanto faz? Desde de que te ame? (Prefere ignorar a pergunta?)
A pessoa ideal seria aquela que tão-somente me amasse com todas as minhas imperfeições e qualidades e que quisesse construir comigo uma relação bacana. Que não me ligue várias vezes ao dia, isso é importante, porque eu não curto falar muito ao telefone. Teria que, pelo menos, tentar entender os meus silêncios. Aliás, me lembrei agora de uma frase do escritor Lúcio Cardoso que eu acho ótima: “O que ocultamos é o que importa, é o que somos”.


Qual sua maior decepção? Por que?

Não ter podido continuar morando em São Paulo. Porque era um sonho que eu sempre tive e a minha mãe também e que foi preciso adiá-lo.

Como as pessoas avaliam seus trabalhos artísticos?
As pessoas costumam se identificar bastante porque são trabalhos com uma linguagem bem pop, mas aquela história do olhar do outro ser uma pata macia e silenciosa sobre o que você faz já não me preocupa. Algumas pessoas vão gostar, outras não, mas isso tudo é normal. Pelos comentários que sempre recebo das pessoas, tudo tem sido muito positivo e incentivador, mas também não vou me acomodar, achar que já sei tudo. E mesmo os trabalhos mais conceituais como os da série “Relicário” também conquistaram o seu público.


Você se acha irreverente ou apenas ousado em seus trabalhos?
Nem uma coisa nem outra. A Pop Art trabalha muito com a irreverência, mas não sinto necessidade nenhuma de estar preso a ela. Ousar já traz essa ideia de romper barreiras, inovar, o que não se tem visto nas artes plásticas por aí. Fazer um trabalho “pop” já me permite uma série de possibilidades, o que vai me nortear mesmo é o momento.


Porque as pessoas confundem o Luis -pessoa - com o artista?

Porque todo artista tem um lado “personagem” também. Os menos inspirados chamam a isso de marketing pessoal, mas eu prefiro chamar de ficcionalização de si mesmo. Mas nessa categoria eu sou totalmente amador, quando muito me incluo entre os coadjuvantes, porque não sou dado a extravagâncias. O máximo a que me permitir até hoje foi “expor” a minha vida em imagens e textos pela internet, mas quem me conhece de verdade sabe que eu sou uma pessoa ponderada, bastante simples até, acessível.

Você consegue separar os dois? Como?

Sim. O artista é mais ousado, se arrisca mais, é mais moleque também, já o “Luis-pessoa” é mais tímido, caseiro, racional, mas ambos são bem generosos.

Em uma postagem sua, acredito que "Relicário" você falou também de uma foto pessoal, a qual decepcionou alguns de seus leitores e/ou amigos. Como você avalia isso?
Foi só uma pessoa que não gostou. Imagino que ela me achava certinho demais e aquela foto (eu de cueca) rompia talvez com essa “idealização”. Mas era uma imagem onírica, em P&B, não tinha nada de vulgar. Foi um caso isolado mesmo. Várias pessoas fazem isso todos os dias, anônimos, celebridades, artistas, o que há de errado em mostrar conscientemente o seu próprio corpo? Eu não agredi ninguém.


Alguns de seus leitores ficaram curiosos pra verem essa foto. Vc pretende fazer uma postagem com ela? E esclarecer do ponto de vista artístico esse suposto mal entendido ou vc prefere dar o assunto por encerrado?
É verdade, houve pedidos calorosos para postar a foto, mas acho melhor não. Já passou.

Aceita enviar a foto para postagem e apreciação no Ká Entre Nós? E explicar o pq da foto. Se é que vc deve alguma explicação de alguma forma.
Só se fosse num calendário beneficente dos “blogueiros desinibidos” rs. Não, é um assunto encerrado mesmo, e foram vocês (Jay e Alê) que me aconselharam a não dar explicação nenhuma, lembram? É o que tenho feito a respeito.

Você acha que o artista deve explicações sobre suas obras?
Eu acredito muito no que o Duchamp falou sobre a arte estar no olhar das pessoas, por mais que por trás da obra existam vários conceitos. Claro que, quando falamos em arte, não está em jogo só a questão estética, tem o momento histórico em que a obra foi feita, a linguagem, o suporte usado pelo artista, tudo isso, mas nada supera o momento único que é a relação da obra com o espectador. É o que a escritora Clarice Lispector chamou de “ou toca, ou não toca”.


A arte tem limites?

Mesmo durante a Ditadura, com todo aquele momento tenso e repressor, muitos artistas driblaram a censura. A criação artística deve ser totalmente livre, mas não um pretexto pra se fazer qualquer coisa e chamar de arte, tem que predominar também o bom senso do artista.
Como você avalia as interfaces do profano e do sagrado numa mesma obra?
Eu vejo como um questionamento das pessoas sobre o papel das religiões na sociedade atual, a idolatria, os próprios valores em conflito, etc. Muitos artistas tem usado esse tema em seus trabalhos, alguns são mais polêmicos, outros não, mas eu acho todos legítimos.

Qual sua maior conquista?

A minha maior conquista está sendo fazer o que eu gosto, o que me realiza.
O que mais te encanta na Blogosfera?
A diversidade de pensamento e a interatividade. Postar o que cada um pensa e ter o retorno das pessoas é muito bom.

Sonha em conhecer algum País no exterior? qual? Pq? Se já conhece. Qual?
Nova York é uma cidade que eu gostaria muito de conhecer. Curto lugares com características bem urbanas. E tem todas aquelas galerias, museus, teatros... Eu iria me sentir “um pinto no lixo” rs como dizem por aí.

O que mais você gosta em você mesmo?
A minha capacidade de reinvenção.

O que menos gosta?
Bem, eu sou ariano, acho que não precisa dizer mais nada, né? rs.

Se vc tivesse que se definir em 3 palavras quais seriam elas?
Imaginação, afeto e açúcar.

O que é o amor pra você?

Salvação. Apesar de ser um sentimento tão contrário a si mesmo, é o único que pode nos salvar.
Vc é fiel em suas relações?
Sou.

O que acha da traição?
Uma coisa horrível.

Já traiu? já foi traído?
Já traí, sim, uma única vez. Infelizmente. Não é nada de que me orgulhe, mas aprendi muito também. Foi numa fase hedonista da minha vida, cheia de conflitos pessoais. O melhor é usar a sinceridade mesmo. Se o relacionamento não vai bem, cada um deve procurar ser feliz longe um do outro.

O q é pra vc em poucas palavras:
a) Deus: Direção, sempre!
b) amizade: Bem precioso
c) família: Porto seguro
d) trabalho: Realização
e) dinheiro: Segurança
f) amor: Fundamental
g) sexo: Indispensável
h) política: Desencanto
i) Presidente Lula: Esquerda messiânica
Qual é a sua palavra final e o que espera neste 2010?
Primeiro agradecer a vocês pela entrevista, sou fã do Ká entre Nós faz tempo, e dizer que espero que 2010 seja um ano muito produtivo para todos nós. Que a gente também possa pensar mais no outro e não só esperar que os políticos façam alguma coisa, porque a maioria não faz mesmo. Aliás, muito cuidado também em quem votar neste ano. É isso.
Valeu Luis.
Bjus meu e do Alê pra você.
Bju a todos.
Enfim não deixem de visitar: http://luisfabianoteixeira.blogspot.com/
Jason Waider, o próprio



19 comentários:

Athila Goyaz disse...

Gostei da entrevista, o cara sabe se expressar !
"Imaginação, afeto e açúcar." estava pensando em Nara Leão hehe

abraços ae!

Re Machado disse...

Olá!
Obrigado pela visita lá..
Volte sempre...
Eu votlarei tambem por aqui...
Sim, a entrevista foi gostosa.

Abração proces..

Gilson disse...

Realmente foi excelente a entrevista com o Luiz, não pude deixar de vir ler. Luiz é um cara que conheci tamém logo no início do meu Blog e não tive como não gostar dele. Não só porque gosto e admiro arte, mas percebe-se de cara que o Luiz é uma pessoa séria, cheia de princípios e de uma cordialidade sem par.

Parabéns Jay pela sua iniciativa.

J. M. disse...

Adorei a entrevista com o Luís e achei fantástica a obra do artista. Gostei muito! Parabens meninos pela entrevista. Forte abraço.

Paulo Braccini disse...

Como sempre super legal a entrevista ... inteligente e rica ... não conhecia o Luiz mas já estou indo conhecer o trabalho do rapaz mais de perto ...

parabéns aos três ...

bjux

;-)

Renato Orlandi disse...

Imaginação, afeto e açúcar. Uau, define muito bem um bom artista. Adorei essa entrevista, nunca tinha visto ainda na blogosfera algo assim e fiquei curiosissimo para conhecer melhor o trabalho dele, seu blog e sua arte. Super me identifiquei com muitas coisas sobre ele, o que é bom porque faz com que eu pareça mais normal ahsuahuasa! Amei, vcs estão de parabéns pelas boas amizades conquistadas! Bjao!

Caio Lima disse...

O cara gosta mesmo do q faz hein. Vou lá fuçar no blog dele, eu não conhecia, agora vou conhecer ;)

ah, talvez eu fique um pouco afastado da net nos proximos dias, pq mano, ashusahuas hj choveu tanto, mas tanto, que caiu um raio no meu condominio aqui kkkkk e varios equipamentos eletronicos d todo mundo foram queimados, inclusive o teclado do meu pc kkkk la vou na lan house de novo

bom, entao e isso, vou la ver as obras do Luis
abraço aos dois
fui

Andret disse...

Olá

Muito obrigado por dividir conosco o trabalho deste rapaz, o blog do Luiz Fabiano é extremamente inteligente, de muito bom gosto e pautas muito bem escolhidas.

A sua entrevista foi impecável.

Parabéns!

Abraço.

FOXX disse...

adorei a entrevista e o moço é talentoso hein?

Luis Fabiano disse...

Meninos, que surpresa boa, adorei, ficou muito bacana. Só tenho mesmo que lhes agradecer, bem como a todos que comentaram e que curtiram o meu trabalho. Vou, aos poucos, visitando o blog de todo mundo e aumentando a minha lista de blogs amigos. Vocês já podem trabalhar na Globo News, viu? rs. Aliás, já recebi elogios das perguntas também. Tenho uma grande admiração por vcs, desde o comecinho, lembram? Quando começamos a acompanhar o blog um do outro, depois e-mail, msn, aliás, depois tenho várias notícias de Sampa pra gente papear. Enfim, que esse espaço continue sempre assim, com essa energia boa, interativo, crítico... Obrigado, mais uma vez, pelo carinho e respeito ao meu trabalho. Gosto muito de vocês! Beijão!

Caroline. disse...

Muito boa entrevista =D
Adorei o trabalho do Luiz *______*
Beijão =*

Gilson disse...

Vim ver a entrevista do Luiz, mas gostei do espaço de voces e se não se incomodam, estarei seguindo voces.

Abs

Ausência Instável disse...

Tiro as palavras do Athila!
O cara sabe expressar suas ideias, é isso que um verdadeiro talento se mostra.

Entrevista BOA DEMAIS, boas influencias JAY&AlÊ!

Beijao!

Fernanda disse...

Eu li a entrevista e imagens passaram na minha cabeça! O jeito de falar, de colocar as frases, de citar escritores, de ser simples e ao mesmo tempo prender a gente de um jeito único. Tudo isso é o Luis!
Meu grande amigo Luis, fico feliz que outras pessoas tenham encontrado em você um pouco daquilo que você para mim, um amigo verdadeiro, pra vida toda.
Parabéns meninos pela entrevista!
Bjos

Renato Hemesath disse...

Olá Jay.
Obrigado pelo comentário! :]

Claro, irei segui-los aqui também. O espaço de vocês mostra-se bastante interativo.

Um abraço.

Arsênico disse...

Pabéns pela entrevista...

Formidável...

E que trabalhos lindíssimos...

Amay!!!

***

umBeijo!

Pedro Antônio disse...

Olá, Jay!

Está tudo bem, graças a Deus. Estou um pouco sem tempo para atualizar a Torre Mágica. Mas, a qualquer momento, eu voltarei (KKKKKKKKKKKK).

Parabéns pela entrevista e pelos demais textos do blog! Como sempre, você realizou um trabalho muito bacana de informação.

Abraços. Até!

Pedro Antônio

Três Egos disse...

Muito boa a entrevista...
Adoro artistas... rs

Abraço,

Apolo

Gilson disse...

Sou amigo de Facebook do Luis e cada vez que nos esbarramos vou tendo mais motivos pra admirá-lo. Principalmente pela imensa sensibilidade que ele tem, característica que vai ficando mais rara num mundo onde ser sensível está se tornando sinônimo de fraqueza. Admiro sua fome por cultura e o bom gosto de sua arte visual, sem contar o português impecável dos seus textos. Parabéns ao blog pelas perguntas interessantes e intimistas, bem fora do lugar comum.

GB