terça-feira, 26 de maio de 2009

Alê escreveu

Olá amigos do Jason,

Antes de tudo quero dizer que tudo o que o Jason escreveu sobre nosso primeiro encontro é verdade, mas não relatou todo o lance de seu constrangimento e medo de se aproximar de mim. E foi assim que eu me apaixonei por ele:
Três semanas atrás eu estava no auditório da faculdade esperando um tal de Jason Waiderson, que pelo currículo era um profissional de sucesso e muito jovem. Isso já me chamou a atenção. Eu esperava ver um nerd, desses bem esquisitos (com todo respeito claro), mas pra minha surpresa, entra um gato, um anjo de terno bem alinhado, a cor da gravata combinando com a camisa que tinha um verde lindo, que nem sei descrever a tonalidade. Ele estava lindo e com certeza assim como arrancou suspiros em mim, arrancou em outros e outras. Durante todo o tempo que ele falava eu não tirei os olhos dele. Num dado momento, sem interromper sua fala, ele charmosamente, tira o paletó e pendura nas costas da cadeira. Ajeita a gravata e passa a mão sobre os cabelos, eu me apaixonei ali mesmo wow! Foi demais. Durante uma semana, eu quase sempre ouvia as meninas falarem sobre ele, que era gato, inteligente, bem empregado e tals... e eu queria falar apenas que ele era gatíssimo, mas tinha que ficar calado. Afinal ninguém sabia de mim.
Quando ele terminou a palestra e foi embora, eu senti que não mais o veria, afinal ele não estudava mais na faculdade. Mas ao mesmo tempo eu desejei poder tê-lo pra mim. Era um desejo naquela hora impossível de se tornar realidade. Afinal, eu não poderia nunca imaginar que eu teria a menor chance ou mesmo que ele fosse gay. Quando eu ouvia alguém dizer que faria qualquer coisa para poder beijá-lo, uma única vez que fosse, eu pensava, eu também, eu também. E eu pensava, mas e se eu encontrá-lo de novo? Vou dizer o quê ou fazer o quê?
E pra minha surpresa, três semanas depois me deparo com aquele anjo, agora mais humano, de jeans e uma camiseta qualquer. Meu Deus, ele era bonito de qualquer jeito. Eu o vi, mas ele não me notou. Esperei o momento certo de abordá-lo e fiquei improvisando o que dizer. Então toquei-lhe no ombro e disse:
___ Oi! E ele respondeu:
___ E ai! Posso te ajudar?
___ Não se lembra de mim, da semana de adiminstração, na sua palestra? E ele secamente me disse:
___ É sua face não me é estranha, mas no meio de tanta gente. Me desculpa, pois não?
E eu disse:
___ Nada não, só queria dizer que gostei muito, muito boa a sua palestra.
___ Que bom que gostou, espero que eu tenha dito algo que seja últil pra você, ele disse assim secamente de novo.
___ Ah sim, claro. Eu gostei tanto que me apaixonei por você.
Gente, vocês precisavam ver a cena de constrangimento do Jason, pensei que ele ia dar um “treco”, o cara engasgou, tremia feito louco, parecia que o copo ia saltar-lhe da mão. E ai eu disse:
___ Ei cara relaxa! Tô só brincando, não precisa me levar assim a sério.
E ele disse:
___ Como assim? O que disse?
Acho que ele saiu de si com o que eu disse. Eu vô nessa. Tá tudo bem. Prazer em te ver de novo. See you, bye!
Ele parado com o copo na mão, apenas me e olha e diz: bye, sorrindo meio desconcertado.
Depois que andei uns 50 metros escuto alguém discretamente grintando:
___ ei, ei, espera ai. Olho e vejo ele correndo em minha direção. Achei estranho, mas parei. Ele chega com o copo ainda na mão e gaguejou pra perguntar meu nome. E eu disse pode me chamar de Alê. E ele diz, Alê, mas Alê mesmo? Aceita água? Eu rachei de rir rsrsrsrsrsrrs, ele todo desconcertado me olhando sem saber o que dizer. E eu disse não obrigado. E seu nome? Eu já havia esquecido mesmo, havia me restado apenas a beleza daquele anjo, que eu contemplava ali naquele momento.
Oh, já esqueceu meu nome?
É algumas coisas fazem-nos esquecer outras eu disse. Mas te falo sobre isso depois. Em nosso primeiro encontro ele quis saber porque eu havia esquecido do nome dele. Eu disse que eu sonhava tanto com a beleza dele e a possibilidade de tê-lo pra mim, que o nome não era mais importante. Ele riu amavelmente ao escutar isso. Mas depois me perguntou, se eu estava só interessado no que eu chamava de beleza...
Mas então, quando ele disse: meu nome é Jason, eu respondi: ah é! E fiquei parado olhando pra ele e ele pra mim. Silêncio...
Só isso? Posso ir?
Gente, o Jason começou a tremer de novo e meio gaguejando disse:
É..., é... topa sair comigo? Eu ri, na cara dura e ele ficou vermelho. E claro eu disse sim. Nessa hora, pareceu que eu havia tirado um grande peso dos ombros dele. Ele pegou meu número de telefone e se foi. Eu de tão contente que fiquei nem peguei o número dele. Marcamos de nos encontrar no sábado. Era quinta-feira...

PS. Oh cara difícil gente... eu esperei que ele me ligasse durante a sexta e nada. Já era noite e eu pensei que ele havia desistido de mim. Ele só me ligou no sábado de manhã, pelas dez horas.

PS². E o primeiro beijo? Só no quinto encontro... pode??? Peçam pra ele escrever sobre isso... mas valeu a pena esperar. Jay, minha vida, te amo muitoooooo! Bju de seu Alê.

Gente, fala sério né.... o Alê é um charme né...? eu vou dar essa chance pra ele. Porque ele é muito fofo. Mas acho que eu não tremi tanto assim como ele fala.... mas é coisa do amor, coisa do amor.
E ai está para os curiosos hehehe que já perguntaram sobre meu nome. É Jason mesmo, ok? Jason Waiderson ( eu apenas retirei o (son) do fim. Os sobrenomes de pai e mãe, fica em sigilo).
Alê amor, te amo muito, muito também....

11 comentários:

byfranzao disse...

Arrasa!!!!!!!!

Ryan disse...

Gente que história linda!!
Me permitam viajar um pouco?


*_____*

Gato de Cheshire disse...

Q gracinha...
Lindinhos vcs dois.... O homem é quase uma celebridade meeeeesmo.... No dia q vc for no super pop eu vou falar pra todo mundo q te conheço... hauahauahaahaua
Sorte meninos...

Daniel Braga disse...

HAHa que legal. Adorei a estória de vocês, descreva a estória do primeiro beijo, será interessante.

~Obrigado pelo seu comentário no meu blog. E com, certeza a gente continua eternamenta na cabeça dos que nos amam. Eu também quero amar muito e ser muito amado também. Senão a minha vida não terá graça.

~A gente se fala. Até a próxima.

*DB*

≈ João Pé-de-Feijão ≈ disse...

ÉGUA!

kkkkkkkkk

Coisa de cinema essa versão!

=}

Dr. Cohen disse...

Que romântica a história de vocês! Jason, obrigado pelo selo. Regrinhas todas cumpridas. Ótima semana e continuem assim tão apaixonadinhos

O Iluminado disse...

Ah Timinitim!!!
a curiosidade de saber quem vcs são tá me matando! rs mas dexa! assim que é bom!
Jason...valeu pelo post lah vc é sempre benvindo!
abração pra vcs!

Rafael disse...

HAHAHAHA! Que legal. Muitas ironias por aqui, hein? (:

Caio Abreu disse...

Adorei o encontro, a cara dura do Alê e o constrangimento do Jason hahahha

Ale, prazer te conhecer!

Jason, adorei o q vc escreveu no meu blog. Vc já leu o Anticristo de Nietzsche? Se sim, muito bom ne?

Com certeza aprendi bastante coisas com Jesus e não só com ele mas também com os diversos professores, mestres que Deus nos manda a Terra para nos tornar pessoas melhores

:)

RP disse...

Que bunitin...

byfranzao disse...

um poeminha para vcs..

Puro como água,
leve como lágrima,
excitante como o riso,
perfeito como um amigo.
(Rodrigo Franzão)

Bjocas