quarta-feira, 6 de maio de 2009

Minha História Partes 11 e 12

PARTE 11 – AINDA EM CASA

No sábado acordei por volta das oito e meia. Meu corpo doia. O folgado de meu irmão dormira ali do meu lado e claro ele pensou que estava sozinho na cama, que era de solteiro. Tirei o braço dele de cima de mim, ele resmungou alguma coisa que eu não entendi. Fui ao banheiro e na volta vi minha mãe na cozinha botando a mesa do café, uma mesa simples rodeada de cadeiras velhas. Mas parecia que tudo era perfeito, mesmo meu outro mundo sendo bem diferente, ali pra mim era o paraíso. Voltei ao quarto e tratei de acordar meu irmão, afinal eu queria tomar café com ele. Fui pra cozinha abracei e beijei minha mãe, foi o abraço mais longo de minha vida e o beijo mais cheio de lágrimas, choramos juntos e eu enchuguei as lágrimas dela com minhas mãos. Tudo bem, tudo bem mãe, eu to aqui.
O café foi compartilhado por meu irmão e mamãe. Papai e minha irmã Lívia já haviam ido trabalhar, mas estariam no almoço a mamãe falou. Assim depois do café eu e Pedro saimos para a rua. Alguns curiosos se aproximavam de nós outros ficavam de longe nos olhando. Engraçado que eu me sentia famoso (risos). Passado alguns minutos Pedro me convidou para dar uma volta de bicicleta no bairro. E realmente tudo estava bem diferente. Mas aos poucos eu me sentia no meu lugar. Mas eu já sabia que eu estaria voltando pra Brasília. E reencontrei a Flaviane. Ela chorou e me bateu também, se ela soubesse que eu estaria fugindo de casa naquele dia, ela disse: jamais teria atendido meus pedidos (sobre a carta e o bilhete). Daí eu e Pedro voltamos pra casa já era quase meio dia.

PARTE 12 – ALMOÇO E MAIS CHORO: A HORA DA VERDADE!


Era uma hora quando mamãe preparou a mesa do almoço. Era o mesmo cheiro de antes. Incrível como tudo permanece gravado em nossa mente. O almoço começou alegre e com muitos sorrisos e lembranças de nossas peripécias de infância. Mas depois do doce eu tinha que falar. Afinal eu tinha voltado não só pra revê-los e também não era para jogar na cara de minha mãe que eu tinha vencido na vida e coisa e tal. Acima de tudo eu sabia que estava alí porque apesar de tudo eu sempre quis estar de volta. Resperei fundo e disse:
___Bom gente, é muito bom estar de volta, desde o dia em que sai por aquela porta eu sonhei com esse dia de estar aqui novamente. Da mesma forma por onde eu andei eu nunca fui feliz, sempre estive contente, mas feliz eu sou aqui entre vocês. Esse fim de semana tem sido muita felicidade. Obrigado por me receberem de volta com tanto amor.
Mas cinco anos atrás quando eu sai dessa casa, eu tinha um desafio. Apesar de eu ser um pobre menino de periferia, apesar das feridas que eu abri em vocês e em mim também, tudo aconteceu como tinha que acontecer. Mamãe, do seu jeito, só me fez bem (lágrimas). Quando ela me disse que eu só poderia morar nessa casa se fosse homem o suficiente, tenho certeza que assim como eu, ela não sabia o que isso significava. Eu não sabia e acho que ainda estou construindo isso. Mas batalhei duro pra poder voltar aqui hoje. Eu trabalhei duro, sofri, chorei muitas noites e quase sempre choro. Mas eu estou vencendo aos poucos e “eu nunca tive que fazer nada feio ou supostamente errado”, nunca usei droga, nem roubei e nem vendi meu corpo (lágrimas coletivas)...
Deus colocou em meu caminho pessoas maravilhosas que me fizeram ser quem eu hoje sou. E pra mim hoje ser homem o suficiente é isso: ter coragem de estar aqui diante de vocês abrindo meu coração. Papai chorou muito nessa hora... e minhas lágrimas escorriam sem parar também enquanto os outros as vezes soluçavam. Hoje eu quero que vocês saibam que eu sou sim homossexual, mas sou homem, tenho cárater, dignidade. Sou honesto e justo com as pessoas. Posso não ser o modelo de pessoa. Mas quem é? Eu nunca ganhei nada de mão beijada na vida. Eu sofri, ralei mesmo. Estudei, não abri mão de aprender e ter uma profissão, estou quase concluindo minha faculdade, sou independente. Tenho uma vida decente e de muito respeito por mim mesmo, por meus amigos e por vocês.
E mesmo que doa muito em vocês, porque dói em mim também, hoje eu sou o homem que devo ser. E você mamãe, mesmo tendo sido da forma errada, você me fez ser quem eu sou. E saibam que estou muito feliz.
E pra terminar, saibam que pra mim, indecente e imoral pode ser muitas coisas. A violência, o preconceito, a guerra que mata inocentes, a fome que mata crianças em tantas partes do mundo, a corrupção e tantas outras coisas... Mas amar? Amar é divino, é humano...(lágrimas coletivas).
Papai, Pedro olhem pra mim, eu não tive a mesma chance que vocês. Eu não escolhi ser quem sou. Mas estou feliz. Olhem pra mim, vocês conseguem ver o homem que sou? Conseguem? Eu sou apenas mais um homem que gosta de outro ( lágrimas), meu irmão se levantou e me ofereceu um copo com água e me abraçou.
Eu me orgulho de vocês, amo vocês do fundo de meu coração. Quero que vocês façam parte de minha vida daqui pra frente. Tudo que eu preciso é do amor de vocês, que vocês se orgulhem de mim se puderem, que me perdoem pela dor que causei em vocês. E se vocês me aceitarem eu sempre estarei com vocês.
Como assim perguntou papai?
___Papai, estou fazendo faculdade, já quase no fim. E tenho meu trabalho em Brasília, morar aqui novamente agora não dá mais. É impossível, ele chorou muito... acho que ele já sabia que estava doente.
Já era quase cinco da tarde quando saimos da mesa todos cansados de chorar. Mamãe e minha irmã não haviam dito nada. Eu fui pro quarto e dormi por mais de meia hora. O fim de semana foi longo e maravilhoso, cheio de tudo, alegria, perdão, amor, lágrimas e despedidas também. No domingo, logo depois do almoço eu voltei pra Brasília e prometi que voltaria sempre e dali pra diante eu realmente sempre estava em casa. Mas alguma coisa me preocupava no papai, mas ele nunca se abria comigo...
PARTE 12 a continuar...

5 comentários:

≈ João Pé-de-Feijão ≈ disse...

huuummm

Dignidade é uma vitória.
Achei uma história de coragem...

Fernando disse...

Iniciativa é sempre louvavel ... pode crer que se tornou o heroi pessoal de muitos nós caso tenha msn quero conhecer um pouco mais de você abração amigo

Zetto Borges disse...

Verdade, ele é gnte fina mesmo. :)
Seu blog tbem é mto bacana, brigadão pela visita, Jason. ;)

Jason Waider disse...

Amigos que têm me acompanhado aqui com certa fidelidade brigaduuuuu de coração. Agora vou postar só na segunda de novo ok? Aproveitando que estou 15 dias de férias, vou ter um fim de semana prolongado com o Alê, meu gato a gente merece né... e nesses dias ele tem estado com ciuminho... do blog pode....??? Estamos indo pra Porto de Galinhas em Recife... whoowhoo !!!
Abraço a todos... te breve!!!!

alex e! disse...

...é quase épica a tua história e, sendo assim, serve de inspiração a outras pessoas, homossexuais ou não, pra que sigam lutando por seus ideais, sempre com dignidade e respeito ao próximo. Quanto ao fim de semana prolongado, claro que cê merece, né. Vai curtir o namorado, vai, deixa ele ficar com ciúme não...rs Boa viagem pra vocês dois, viu!...

abração do alex =D....